Feeds RSS

domingo, 27 de dezembro de 2009

Desabafo de um bom marido

DESABAFO DE UM BOM MARIDO

Luis Fernando Veríssimo
 
Minha esposa e eu temos o segredo pra fazer um casamento durar:

Duas vezes por semana, vamos a um ótimo restaurante, com uma comida gostosa, uma boa bebida, e um bom companheirismo.

Ela vai às terças-feiras, e eu às quintas.

Nós também dormimos em camas separadas. A dela é em Fortaleza e a minha em São Paulo.

Eu levo minha esposa a todos os lugares, mas ela sempre acha o caminho de volta.

Perguntei a ela onde ela gostaria de ir no nosso aniversário de casamento.

"Em algum lugar que eu não tenha ido há muito tempo!" ela disse.

Então eu sugeri a cozinha.

Nós sempre andamos de mãos dadas. Se eu soltar, ela vai às compras.

Ela tem um liquidificador elétrico, uma torradeira elétrica, e uma máquina de fazer pão, elétrica.

Então ela disse: "Nós temos muitos aparelhos, mas não temos lugar pra sentar". Daí, comprei pra ela uma cadeira elétrica.

Lembrem-se... O casamento é a causa número 1 para o divórcio.

Estatisticamente, 100 % dos divórcios começam com o casamento.

Eu me casei com a "Sra. Certa". Só não sabia que o primeiro nome dela era "Sempre".

Já faz 18 meses que não falo com minha esposa. É que não gosto de interrompê-la.

Mas tenho que admitir, a nossa última briga foi culpa minha.

Ela perguntou: "O que tem na TV?" E eu disse "Poeira".

No começo Deus criou o mundo e descansou.

Então, Ele criou o homem e descansou.

Depois, criou a mulher. Desde então, nem Deus, nem o homem, nem o Mundo tiveram mais descanso.

Quando o nosso cortador de grama quebrou, minha mulher ficava sempre me dando a entender que eu deveria consertá-lo. Mas eu sempre acabava tendo outra coisa para cuidar antes, o caminhão, o carro, a pesca, sempre alguma coisa mais importante para mim. Finalmente ela pensou num jeito esperto de me convencer.

Certo dia, ao chegar em casa, encontrei-a sentada na grama alta, ocupada em podá-la com uma tesourinha de costura. Eu olhei em silêncio por um tempo, me emocionei bastante e depois entrei em casa. Em alguns minutos eu voltei com uma escova de dentes e lhe entreguei.

"- Quando você terminar de cortar a grama," eu disse, "você pode também varrer a calçada."

Depois disso não me lembro de mais nada. Os médicos dizem que eu voltarei a andar, mas mancarei pelo resto da vida".

"O casamento é uma relação entre duas pessoas na qual uma está sempre certa e a outra é o marido..."



6 comentários:

Luisa L. disse...

Lilian,

É muito engraçado o texto, mas muito machista também! eheheheheh

Beijos
Luísa

jotapeh9907 disse...

Super engraçado, Lili
Adorei.
Parabéns pelo seu senso de humor

Eduardo Meireles disse...

Achei sensacional...

me diverti lendo.

Eduardo Meireles
motorpasion.com.br

Lilian disse...

Olá querida amiga Luísa,

Você viu como estou em baixa?

Agradeço a sua atenção para com minha pessoa.
Agradeço a sua constante presença nas postagem que publico.

O seu foi o primeiro comentário. Achou o texto machista, e mesmo assim, não despertou interesse nem nos amigos homens.

É que foi escrito por um homem, Luís Fernando Veríssimo. Aqui no Brasil, ele é muito conhecido e seus textos são magníficos e bem divulgados na mídia jornalística, televisiva e na internet.

Tentei mudar um pouco o tipo de matéria pubicada para avaliar o gosto e perfil das pessoas que vtam e comentam. Algumas postagens que publiquei, com bom conteúdo , não foi bem aceita.

Você amiga, que é poeta, editora e escritora, sabe que o importante para quem escreve é ter seu texto lido e aprovado, do contrário, vem o desânimo de continuar a escrever.

De coração, agradeço seu carinho.
Carinhoso e fraternal abraço,
Lilian

Lilian disse...

Olá querido amigo,

Agradeço, de coração, sua presença e atenção.
É um texto gostoso de ler e, bem assim como disse, meio exagerado, mas só o publiquei, por ter sido escrito por um homem, e justamente, Luís Fernando Veríssimo.
Carinhoso e fraterno abraço,
Lilian

Lilian disse...

Olá querido amigo Eduardo,

O texto é divertido.
NÃO É MEU. É de Luís Fernando Veríssimo.
Precisamos ler coisas alegres, rir um pouco, pois o riso faz bem à saúde, desopila o fígado e ficamos mais felizes. Isso é científico.
Grata pela presença e comentário
Carinhoso e fraterno abraço,
Lilian

Postar um comentário