Feeds RSS

sábado, 19 de dezembro de 2009

A paz que trago em meu peito......



  Tela em óleo de Lilian Candello Salvadori   -   Texto de Marcelo Celente

 A paz que trago hoje em meu peito é
diferente da paz que eu sonhei um dia...
Quando se é jovem ou imaturo,
imagina-se que ter paz é poder fazer
o que se quer, repousar, ficar em silêncio
e jamais enfrentar uma contradição
ou uma decepção.

Todavia, o tempo vai nos mostrando
que a paz é resultado do entendimento
de algumas lições importantes
que a vida nos oferece.

A paz está
no dinamismo da vida,
no trabalho, na esperança,
na confiança, na fé...

Ter paz é ter a consciência tranqüila,
é ter certeza de que se fez
o melhor ou, pelo menos, tentou...

Ter paz é assumir responsabilidades
e cumpri-las,
é ter serenidade nos momentos
mais difíceis da vida.

Ter paz é ter ouvidos que ouvem,
olhos que vêem e boca que
diz palavras que constroem.

Ter paz é ter um coração que ama...
Ter paz é admitir a própria imperfeição
e reconhecer os medos,
as fraquezas,  as carências...

Ter paz é não querer
que os outros se modifiquem
para nos agradar,
é respeitar as opiniões contrárias,
é esquecer as ofensas.

Ter paz é brincar com as crianças,
voar com os passarinhos,
ouvir o riacho que desliza
sobre as pedras e embala
os ramos verdes
que em suas águas
se espreguiçam...

Ter paz é aprender
com os próprios erros,
é dizer não quando
não que se quer dizer...

Ter paz é ter coragem
de chorar ou de sorrir
quando se tem vontade...
É ter forças para voltar atrás,
pedir perdão, refazer o caminho,
agradecer...

A paz que hoje trago em meu peito
é a tranqüilidade de aceitar
os outros como são,
e a disposição para mudar
as próprias imperfeições.
É a humildade para reconhecer
que não sei tudo  e aprender
até com os insetos...
É a vontade
de dividir o pouco que tenho e
não me aprisionar ao que não possuo.

É melhorar o que
está ao meu alcance,
aceitar o que não pode
ser mudado e ter lucidez
para distinguir uma coisa da outra.

É admitir que nem sempre
tenho razão e,
mesmo que tenha,
não brigar por ela.

A paz que hoje trago em meu peito
é a confiança naquele que criou
e governa o mundo...
A certeza da vida futura
e a convicção de que receberei,
das leis soberanas da vida,
o que a elas tiver oferecido.

Imagem: Internet - janetetf@globo.com - www.mensagensvirtuais.com.br

6 comentários:

Serenissima disse...

Lindo texto!
E parabéns pela tela. É linda!

Eu recebi sim o seu carinho em forma de haikai. Vou postar no blog. Obgda!

Abraço carinhoso

LISON disse...

Saudações Natalinas!
Amiga Lilian.
Que Post Fantástico!

Um belíssimo poema para se guardar eternamente no coração!
PAZ PARA VOCÊ E PARA TODA A HUMANIDADE!
Parabéns pelo lindo Post1
Abraços fraternos,
LISON.

Ana Lucia Nicolau disse...

Oi Lili, realmente, um texto lindo, maduro e que faz com que reflitamos sobre como mudamos nosso foco de visão sobre a vida com o decorrer do tempo....
abs e feliz natal

FrancK P_LavD disse...

Lilian,

Parabéns, belíssimo poema!

A Paz, é o que todos devemos procurar ter e semeá-la a quem nos rodeiam, ela é a corrente energética do bem estar espiritual.

Muita Paz e Feliz Natal, amiga!

Abraços,

FrancK

Lilian disse...

Olá amiga Sereníssima,

Grata por você comentar no blog.
Grata pelo seu carinho.
Grata pela sua amizade.
Carinhoso e fraterno abraço,
Lilian

Lilian disse...

Olá amigos queridos:

franck,
Ana Lúcia e
Lison

Grata pelo carinho de vocês em visitar o blog e comentar.
Disse Jesus: "Eu vos dou a paz...."
Que Deus, na sua infinita bondade, atenda o pedido da Oração publicada.
E eu, desejo a paz para todos.
Carinhoso e fraterno abraço,
Lilian

Postar um comentário