Feeds RSS

quinta-feira, 31 de dezembro de 2009

Duas vezes empresário é salvo da morte pela vontade de Deus

Tenham fé, esperança, gratidão e muita força de vontade!

 
Na quinta feira, dia nove, entre uma reunião e outra, o empresário aproveitou para ir fazer um lanche rápido em uma pizzaria na esquina das ruas Yafo e Mêlech George no centro de Jerusalém.
 
O estabelecimento estava superlotado. Logo ao entrar na pizzaria, Moshê percebeu que teria que esperar muito tempo numa enorme fila, se realmente desejasse comer alguma coisa - mas ele não dispunha de tanto tempo.

Indeciso e impaciente pôs-se a ziguezaguear por perto do balcão de pedidos, esperando que alguma solução caísse do céu.

Percebendo a angústia do estrangeiro, um israelense perguntou-lhe se ele aceitaria entrar na fila na sua frente. Mais do que agradecido, Moshê aceitou. Fez seu pedido, comeu rapidamente e saiu em direção à sua próxima reunião.

Menos de dois minutos após ter saído, ele ouviu um estrondo aterrorizador. Assustado, perguntou a um rapaz que vinha pelo mesmo caminho que ele acabara de percorrer o que acontecera. O jovem disse que um homem-bomba acabara de detonar uma bomba na pizzaria Sbarro`s... Moshê ficou branco. Por apenas dois minutos ele escapara do atentado. Imediatamente lembrou-se do homem israelense que lhe oferecera o lugar na fila.

Certamente ele ainda estava na pizzaria.

Aquele sujeito salvara a sua vida e agora poderia estar morto.
 
Atemorizado, correu para o local do atentado para verificar se aquele homem necessitava de ajuda. Mas encontrou uma situação caótica no local.
 
A Jihad Islâmica enchera a bomba do suicida com milhares de pregos para aumentar seu poder destrutivo. Além do terrorista, de vinte e três anos, outras dezoito pessoas morreram, sendo seis crianças. Cerca de outras noventa pessoas ficaram feridas, algumas em condições críticas.
 
As cadeiras do restaurante estavam espalhadas pela calçada.

Pessoas gritavam e acotovelavam-se na rua, algumas em pânico, outras tentando ajudar de alguma forma.

Entre feridos e mortos estendidos pelo chão, vítimas ensangüentadas eram socorridas por policiais e voluntários.

Uma mulher com um bebê coberto de sangue implorava por ajuda.

Um dispositivo adicional já estava sendo desmontado pelo exército. Moshê procurou seu 'salvador' entre as sirenes sem fim, mas não conseguiu encontrá-lo.
 
Ele decidiu que tentaria de todas as formas saber o que acontecera com o israelense que lhe salvara a vida. Moshê estava vivo por causa dele.

Precisava saber o que acontecera, se ele precisava de alguma ajuda e, acima de tudo, agradecer-lhe por sua vida.

O senso de gratidão fez com que se esquecesse da importante reunião que o aguardava.

Ele começou a percorrer os hospitais da região, para onde tinham sido levados os feridos no atentado. Finalmente encontrou o israelense num leito de um dos hospitais. Ele estava ferido, mas não corria risco de vida.

Moshê conversou com o filho daquele homem, que já estava acompanhando seu pai, e contou tudo o que acontecera. Disse que faria tudo que fosse preciso por ele. Que estava extremamente grato àquele homem e que lhe devia sua vida. Depois de alguns momentos, Moshê se despediu do rapaz e deixou seu cartão com ele. Caso seu pai necessitasse de qualquer tipo de ajuda, o jovem não deveria hesitar em comunicá-lo.

Quase um mês depois, Moshê recebeu um telefonema em seu escritório em Nova Iorque daquele rapaz, contando que seu pai precisava de uma operação de emergência.

Segundo especialistas, o melhor hospital para fazer aquela delicada cirurgia fica em Boston, Massachussets.

Moshê não hesitou. Arrumou tudo para que a cirurgia fosse realizada dentro de poucos dias. Além disso, fez questão de ir pessoalmente receber e acompanhar seu amigo em Boston, que fica à uma hora de avião de Nova Iorque.

Talvez outra pessoa não tivesse feito tantos esforços apenas pelo senso de gratidão. Outra pessoa poderia ter dito 'Afinal, ele não teve intenção de salvar a minha vida: apenas me ofereceu um lugar na fila '

Mas não Moshê. Ele se sentia profundamente grato, mesmo um mês após o atentado. E ele sabia como retribuir um favor.

Naquela manhã de terça-feira, Moshê foi pessoalmente acompanhar seu amigo - e deixou de ir trabalhar. Sendo assim, pouco antes das nove horas da manhã, naquele dia onze de setembro de 2001. Moshê não estava no seu escritório no 101.º andar do World Trade Center Twin Towers.

(Relatado em palestra do Rabino Issocher Frand)

"Entrai pelas portas dele com gratidão, e em seus átrios com louvor; louvai-o, e bendizei o seu nome".Salmos 100: 4







23 comentários:

Principe Encantado disse...

Deus em sua sabadoria infinita nos mostra sempre que Êle tem o poder.
Abraços forte

Lilian disse...

Grata meu amigo pela sua presença e comentário.
Você é sempre muito atencioso, por isso é Rei.
Carinhoso e fraterno abraço,
Lilian

joana disse...

Ola querida amiga
Gostei muito de ler o texto.
Deus não dorme,está sempre alerta e retribui o amor e carinho que nós partilhamos,as vezes com um esforço deshumano,e assim temos a nossa recompens pelo bem praticado!
feliz Ano Novo!!!
bjs
joana

Leila Franca disse...

Ah Lílian...tive uma sensação indescritível ao ler sua notícia. Vou-lhe contar: o texto começa dizendo que era dia 9 - dia que é o do meu aniversário (9 de setembro). Depois fala de uma cirurgia, sendo que o melhor hospital seria em Boston, Massachussets - o lugar onde morei e também fiz uma cirurgia em Boston, sendo operada por um médico indiano, mestre da escola de medicina da Harvard University. Eu estava em Boston quando houve os ataques terroristas. Dias antes, eu tinha direito a uma semana de férias, e pensei em passar meu aniversário, que como disse é no dia 9 de setembro, em New York. Eu sou arquiteta formada e admiro os prédios de New York, pois sei suas histórias. Só tinha visto o World Trade Center uma vez, quando estive em New York em janeiro daquele ano, mas não tive tempo de chegar perto e só vi de longe. Então com certeza naquele aniversário,eu ia querer visitar o WTC, mas houve um imprevisto e acabou que minhas férias foram transferidas para depois e eu não fui. Acho que sou uma que talvez tenha escapado daquela tragédia. Pouco depois, quando tirei mesmo meus dias de férias, meu avião sobrevoou New York, que conforme a sua notícia, fica mesmo a 1 hora de Boston, e quando a gente passa por lá passa baixo, dá pra ver os carros passando, o piloto do avião avisou pelo microfone que estávamos passando bem em cima das ruínas do world trade center e falou pros passageiros olharem pela janela. Eu olhei e vi aquela coisa horrível bem do alto, ainda saía fumaça. Poucos anos depois, em 2003, também me faz lembrar este texto da sua notícia. Fui aprender a luta israelense krav magá, trazida ao Brasil por um ex- combatente do exército de Israel.

Lilian disse...

Olá querida Leila,
Gostaria que seu romance, como você disse, continuasse.
Enquanto ia lendo, ia me arrepiando.
Gosto de suas narrativas, já disse tantas vezes, né, e essa, está muito próxima do que o autor do texto narrou. Mesmo você não sendo religiosa, poderá perceber que há uma força maior que cuida das pessoas e as tira, de alguma forma do lugar, para protegê-las.
Pode-se dizer que isso aconteceu com você e não há como contestar, não é amiga?
Tudo que se relaciona ao 11 de setembro me emociona. Estive lá em final de março e início de abril, e como você, deixei de conhecer o Conjunto todo. Minhas irmãs já estavam um pouco cansadas, tiramos fotos com as torres ao fundo, e deixamos para uma outra ocasião, que nunca haverá.
Que bom que você não pode ir.
Que bom que você está aqui conosco.
Que bom poder ser sua amiga.
Você é super especial.
Beijos e Feliz 2010.
Carinhoso e fraterno abraço,
Lilian

joselito disse...

Bem ... que coisa, pelo visto só ele merecia viver.

LISON disse...

Saudações!
Que Post Fantástico!

Prezada amiga Lilian, ao terminar de ler o seu maravilhoso texto sobre a mãe e pai das virtudes, a Dona Gratidão. Aproveito a oportunidade para lhe confidenciar uma coisa.
Uma semana antes do trágico acidente das torres, recusei uma viagem para os E.U.A., - possivelmente poderia de repente passar por lá-. No momento do acidente me encontrava dentro de um carro, e me veio de insight o acontecido, no mesmo instante pedi para o motorista ligar o radio do carro e comecei a ouvir as primeiras notícias. Você é a segunda pessoa que estou relatando isso. Não gosto nem de lembrar.
Parabéns pelo magnífico Post!
Que Deus TI proteja!
De Coração,
LISON.

Sissym disse...

Lili, eu já li algumas vezes esta historia surpreendente e é impossível deixar de reler e se emocionar.

Fico lembrando de minha tia Cristina que Deus a quer ainda viva, passou por cirurgias dificílimas a ponto de numa delas receber a visita de um padre para dar extrema-unção!!! São fatos inexplicaveis e que existem.

João Poeta disse...

O relato desse fato é comovente e nos dá uma lição de extrema gratidão.
Parabéns pelo post.
João

FrancK P_LavD disse...

Lilian,

O seu blogue está lindo com matérias muito boas, parabéns!

Venho agradecer-lhe as suas visitas e comentários de elogio.

Fico Feliz por gostar tbem daquele meu cantinho.

Quanto ao seu cunhado, a saudade é muito difícil de superar, por vezes é melhor não falar para não sofrer com as recordações do passado!

Se a Lilian quiser as músicas, deixe-me o seu
e-mail que lhe mando os vídeos

Grande abraço,

FRancK

Venusiana disse...

Olá, vi seu comentário no meu blog e resolvi vir conhecer o seu. Gostei muito, achei aconchegante! Esse fundo xadrez é tão familiar que faz a gente se sentir em casa.
Abraços

Sandra F. disse...

Texto excelente pra reflexão. Maravilhosa postagem, parabéns!
Obrigada pela visita lá no meu blog, muito bacana esse seu espaço, estou lhe seguindo.
Grande abraço e sucesso por aqui!

GEOLETRAS disse...

Que texto lindo. Fico muito impressionada quando essas coisas acontecem.

Servem de exemplo pra gente perceber que as nossas atitudes na vida vão se conectando de alguma forma com futuras situações boas ou ruins pra nós.

Grande abraço!

Sheila Fonseca.

Lilian disse...

Olá querida amiga Joana,

Grata pelo carinho.

É isso mesmo, seguir os ensinamentos de Deus, e em o fazendo, faremos sempre o bem, e o bem nos afastará do mal.

"Deus é o caminho , a verdade e a vida."

Carinhos e fraterno abraço,
Beijos,
Lilian

Lilian disse...

Olá querido amigo Joselito,

Você deve ter lido o que escrevi para a Leila e agora, para o Lison.
Não é questão de só ele merecer e os demais não. Não era a vez dele. Não era o dia que Deus escolheu e marcou no "Livrinho da vida" para levá-lo. Usei esse termo, da forma como minha mãe explicava aos filhos sobre o dia de morrer.
O assunto é mais profundo e merece uma matéria a respeito. Se algum Pastor ou teólogo não postar, procurarei fazê-lo.

Grata por sua presença carinhosa nas minhas postagens.

Carinhoso e fraterno abraço,
Lilian

Lilian disse...

Olá querido amigo Lison,

Grata pelo seu carinho.

Em casos como esse, fica tão evidente que Deus existe, mesmo para quem não crê que Deus seja essa força superior, o Deus criador da vida e do Universo.

Nesse dia específico, muitas pessoas deixaram de ir trabalhar e deram um motivo, terminando a fala fazendo referência à proteção divina. Era a manifestação da vontade de Deus.

Muitas coisas acontecem e não temos como explicar, mesmo a morte dos demais. Não sabemos o dia em que partiremos. Deus nos dá a vida e devemos vivê-la da melhor maneira possível, seguindo os passos de Jesus, a fim de estarmos prontos para o nosso derradeiro .

Você amigo, foi um dos escolhidos para continuar na luta diária e algum propósito Deus tem para sua vida. Graças a Deus por isso.

Grata por tê-lo como amigo e que Deus continue abençoando-o e protegendo-o por toda a sua existência.

Carinhoso e fraterno abraço,
Lilian

Lilian disse...

Olá minha querida Sissym,

Grata pelo seu carinho e sua amizade, comentando constantemente em minhas postagens.
Eu já respondi a estes últimos comentários, inclusive ao seu e como será que não constam aqui?
Mistério..... Vim dar uma olhada, depois do que a Rose comentou, que trocaram os textos das postagens mais antigas.

Mas é verdade mesmo, querida, coisas acontecem, que cabe somente a Deus o conhecimento. Temos que confiar NEle, sempre.
Carinhoso e fraterno abraço,
Lilian

Lilian disse...

Olá querida amiga Sheila (Geoletras),

Agradeço a amizade, o carinho e sua constante presença.
Realmente, nada acontece por acaso, e todos que passam por nossas vidas, vêm com um propósito de DEUS. Temos uma dia e hora marcados para partimos, e enquanto este momento não chegar, sempre haverá alguém, a mando de Deus, para nos salvar.
Cada um recebe de acordo com o que dá. Se você der ódios e indiferenças, há de recebê-los de volta. Mas se der atenção e carinho, há de ver-se cercado de afeto e amor.

Carinhoso e fraterno abraço,
Lilian

Lilian disse...

Olá querido amigo João, Grande Poeta.

Agradeço, de coração, seu apoio, carinho e amizade.
Você realmene é um verdadeiro amigo.
Carinhoso e fraterno abraço.
Lilian

Lilian disse...

Olá querido amigo Franck,Poeta Maior,

Agradeço seu carinho em comentar e sua amizade.
Você está fazendo muita falta no Dihitt.
Volte logo.
Vou enviar meu e-mail, pois quero sim as músicas e agrade-lhe a atenção.
Carinhoso e fraterno abraço,
Lilian

Lilian disse...

Olá amiga Sandra.

Muito obrigada pela visita e comentário.
Volte sempre.
Fique com a paz do Senhor.
Carinhoso e fraterno abraço,
Lilian

Lilian disse...

Olá amiga Venusiana.

Adorei seu blog. Parabéns.
Grata pelo carinho em visitar e comentar.
A paz do Senhor.
Carinhoso e fraterno abraço,
Lilian

Anônimo disse...

Acabei de ler a experiencia e a lição que tiro é que, nós tambem devemos ser gratos a nosso pai celestial porque tambem ele um dia enviou seu filho para morrer por todos nós, será que tambem sentimos essa enorme fratidão?????????
gostei de ler, abraço ;
Samus

Postar um comentário